0

Dirch Hartvig Passer foi o mais popular ator cômico da Dinamarca por mais de 20 anos, desde o final dos anos 1950 até sua morte, em 1980. Sua carreira, seus amores e, principalmente sua relação com seu parceiro de palco Kjeld Petersen, são contados em Um Homem Engraçado (Dirch), escrito e dirigido por Martin Zandvliet.

A cinebiografia começa no final dos anos 1950, quando Dirch (Nikolaj Lie Kaas) e Kjeld (Lars Ranthe) estão no auge de uma bem sucedida parceria no teatro. Noite após noite, se apresentam para casas sempre lotadas e ambos desfrutam intensamente dessa popularidade. Em sua vida pessoal, porém, Dirch era muito diferente do que se mostrava nos palcos: tímido, inseguro, não se convencia de que era o componente mais querido da dupla. Kjeld, por sua vez, tinha muita confiança e, embora tivesse ciúmes do seu companheiro, reconhecia que Dirch era mais popular.

Por sua insegurança, Dirch decide aventurar-se num drama, Homens e Ratos, de John Steinbeck, enquanto Kjeld mergulha cada vez mais na bebida, a ponto de ser demitido. Dirch  fracassa em sua tentativa de mostrar que poderia fazer outro tipo de teatro; o público não entende sua proposta e ri o tempo todo de sua performance dramática. Frustrado, ele retoma a relação e a atuação ao lado de Kjeld, que, no entanto, morre logo depois, em 1962, o que afasta Dirch do palco por vários anos.

A partir daí, pouco se mostra da atividade profissional do ator, com o filme dando saltos no tempo, exibindo alguns êxitos de Dirch e sua fixação com o companheiro morto, que ele vê em seus devaneios. O roteirista e diretor Martin Zandvliet prefere concentrar-se nas tentativas frustradas do ator de ter mais um filho com uma mulher muito mais jovem e sua busca por uma reconciliação com ex-mulheres e filhas. Embora tenha atuado em 90 filmes, nada se fala de sua carreira cinematográfica.

Com um elenco extraordinário e uma excelente direção de arte, o filme passa toda a intensidade na Copenhague dos anos 60 e 70. No entanto, para o público que ignora a importância do ator para a cultura dinamarquesa, ficam muitas lacunas. Há ainda um número musical reunindo todo o elenco; uma espécie de celebração da vida e da arte de Dirch e do espírito da época, cena apoteótica que parece ter o objetivo de levantar o astral da obra.

Por: Gilson Carvalho


Um Homem Engraçado (Dirch) – 109 min
Dinamarca – 2011

Direção e Roteiro: Martin Zandvliet
Elenco: Nikolaj Lie Kaas, Lars Ranthe, Julie Zangenberg, Lars Brygmann, Annika Aakjær, Laura Christensen, Morten Kirkskov, Martin Buch, Peter Reichhardt, Silja Eriksen Jensen

Estreia: 06 de outubro (Festival do Rio 2011)


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top