0
O mineiro Tancredo Neves é um dos políticos mais importantes da história do Brasil, pois foi a figura central na transição do regime militar para a democracia. Pacífico e articulador, mantinha relacionamento estreito com autoridades políticas de diferentes correntes ideológicas; por estabelecer uma aliança forte com a esquerda e a direita, sagrou-se o primeiro presidente após a redemocratização. Sem ater-se com minúcias aos aspectos humanos e íntimos de Tancredo, o doc Tancredo: A Travessia, de Silvio Tendler, aborda o perfil do político, desde o tempo em que era Ministro da Justiça do Governo Getúlio, até sua morte, antes da posse, em 1985.

Narrado por Christiane Torloni, Beth Goulart e José Wilker (de A Hora e a Vez de Augusto Matraga), o filme de Tendler não apresenta narrativa ousada e preza pela sobriedade, com o uso do off dos narradores durante a exibição de vídeos históricos, e até a colagem de uma interessante reconstituição dos últimos momentos da vida de Getúlio, quando, num jantar, vários militares o pressionavam a renunciar. Apesar de didático, com certo ar de ‘filme de currículo escolar’, o longa não aborrece o espectador, pois os depoimentos são costurados com elegância, com uma montagem que estabelece ritmo adequado.

Personalidades políticas como Fernando Henrique Cardoso, o neto Aécio Neves e o vice José Sarney (que assumiu o Governo após a sua morte) são alguns dos que dão depoimentos a favor de Tancredo Neves na obra. Sim, Tancredo: A Travessia é, de fato, uma obra a favor, que não faz questão de revelar polêmicas e controvérsias sobre o personagem. Há uma aura mítica em torno deste que usa uma frase de Napoleão para definir o sentido de política: “política é destino”. No entanto, a alcunha de ‘chapa-branca’ é simplista, pois a obra é, mais do que nunca, o retrato de um homem que, com seu talento, ajudou a redefinir os rumos da Política Nacional. E, nesse sentido, não se pode questionar: Trancedo foi um nome importante.

Os disparates na Política Nacional de ontem e de hoje são evidentes e a corrupção, infelizmente, é o primeiro atributo associado à classe. Porém, devemos entender que certos homens, por insistirem nas mudanças de um presente sórdido, considerado como “anos de chumbo”, contribuíram para moldar um futuro com perspectivas otimistas. Tancredo foi um deles. 


Compre nos <br>EUA e receba na sua casa


Tancredo: A Travessia – 90 min
Brasil – 2011
Direção e Roteiro: Silvio Tendler 
Narração: Beth Goulart, Christiane Torloni, José Wilker

Estreia: 28 de outubro

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top