0

Cena do filme "Americano"
Após a morte de sua mãe, com quem não tinha contato desde a infância, Martin (Mathieu Demy, também estreando na direção de longas), que vive na França desde que seus pais se separaram, parte para os Estados Unidos para resolver questões relativas à herança e outras burocracias. Constata, então, que sua mãe deixou seu apartamento para uma mulher chamada Lola (Salma Hayek, de Gato de Botas), sua colega de infância e amiga de muitos anos de sua mãe. Ele parte em busca dessa mulher misteriosa e descobre que ela trabalha agora como stripper em um clube que dá nome ao longa: Americano, em Tijuana, fronteira entre México e Estados Unidos.

O filme se baseia essencialmente na busca do sujeito por seu passado e pela história de sua mãe. Personagem intrigante, Martin passa da completa apatia à fúria, de uma cena para outra, sem que entendamos exatamente suas motivações. Tal fato poderia lhe agregar um caráter um pouco inverossímil. No entanto, sua aparente incoerência emocional é um ponto positivo da construção do personagem, já que a própria realidade e as reações humanas muitas vezes não carecem de lógica.

Filme Americano conta com uma narrativa temporal não linear


Ao longo de seu percurso, passado e presente se confundem através da intercalação de flashbacks que remetem à sua infância e cenas que revelam sua visão da realidade atual, como a do necrotério, em que a visão embaçada da câmera funciona como metáfora do desconhecimento de Martin sobre a figura materna e, ao mesmo tempo, o terror de vê-la morta. As sucessivas desventuras do protagonista e os diálogos reticentes e precários, sobretudo com Lola, preenchem (não completamente) as lacunas da história de sua vida e suas percepções sobre seus próprios sentimentos em relação à mãe acabam se tornando mais claras para o espectador.

Destaque para a trilha sonora, bastante fiel às emoções e à história dos personagens envolvidos, e para as cenas no clube de strip-tease Americano, que explicitam a completa alienação de Martin a tudo o que não esteja ligado ao seu universo interior. Com um final inusitado - mas não imprevisível -, a jornada deste homem termina sem um propósito definido, apenas carregada do excesso de subjetividade que permeia todo o enredo.

Por: Joana Souza
Nota: 7

 


Ficha Técnica

O Americano (Americano) - 105 min
França - 2011
Direção e Roteiro: Mathieu Demy 
Elenco: Mathieu Demy, Salma Hayek, Geraldine Chaplin, Chiara Mastroianni, Carlos Bardem 

Exibido no Festival do Rio 2011
Estreia (circuito): 20 de abril

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top