0

Steven Soderbergh é um diretor com uma característica peculiar: de forma primorosa, consegue produzir obras de arte, ora com tons de cinema cult, ora com pitadas de entretenimento blockbuster. Contágio, seu novo drama com elementos de ficção-científica e suspense, repete umas das fórmulas da sua trilogia de sucesso Onze Homens e um Segredo. Assim como os três longas da série, reúne um grande elenco com nomes populares da sétima arte. Em sua nova produção marcam presença Matt Damon, Marion Cotillard (de Meia Noite em Paris), Kate Winslet, Gwyneth Paltrow (de Glee 3D: O Filme), Laurence Fishburne e Jude Law.

Se por um lado o contingente de estrelas hollywoodianas em Contágio desperta expectativas e curiosidade entre os cinéfilos, por outro, a trama não se aprofunda em nenhum deles, o que deixa a história de temática intensa com explicações rasas e atuações breves. Entretanto, esse emaranhando de personagens e situações acaba sendo suficiente no que diz respeito às diversificadas reflexões que são passíveis durante e após a exibição do longa.

No filme, Gwyneth Paltrow é Beth Emhoff. Ela começa a passar mal durante uma viagem de volta para casa. O que seu marido, Mitch, vivido por Matt Damon, não prevê é que se trata de um vírus letal que mata muito rapidamente. Em poucos dias, os sintomas já são notificados em várias partes do mundo, acionando a comunidade científica e a Organização Mundial de Saúde. Pesquisas são desenvolvidas em busca de uma provável cura, enquanto o desespero vai tomando conta da sociedade civil, até que tudo se transforma num caos incontrolável.

Jude Law interpreta Alan Krumwiede, um repórter de internet que atualiza seu blog diariamente com informações do vírus, das mortes, das ações do governo e das organizações de saúde, da eficácia de remédios e vacinas, enfim, de tudo que considera conteúdo. O espaço dedicado a este personagem revela o papel das mídias e o poder que elas exercem frente à notícia, além de sua capacidade de manipular e formar opiniões. Um gancho para se pensar na ética dentro do jornalismo e na capacidade que os blogs têm de fornecer informação com responsabilidade.

Destaque para a trilha sonora de Contágio. Assinada por Cliff Martinez, ela é responsável por salientar os momentos de suspense do filme. O roteiro de Scott Z. Burns opta por desfechos sutis e a trama, ainda que não aprofundada, não chega a se perder no argumento principal do longa. Ao final, Soderbergh consegue fazer levantar da poltrona com um desejo de “quero mais” e questionamentos do tipo: “E se fosse real?”.

Por: Daisy Soares   


Contágio (Contagion) – 106 min 
Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos – 2011 
Direção: Steven Soderbergh 
Roteiro: Scott Z. Burns 
Elenco: Matt Damon, Marion Cotillard, Kate Winslet, Gwyneth Paltrow, Laurence Fishburne, Jude Law

Estreia: 06 de outubro (Festival do Rio 2011) 
Estreia: 28 de outubro (circuito)

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top