0
Nos anos 1970, quando a China passava por um dos momentos cruciais de sua história, Jing, uma menina ingênua e carente, cujo pai havia sido preso por oposição ao regime, é mandada para o campo para ser reeducada. Lá conhece Sun, jovem dinâmico e decidido, que estuda geologia e faz pesquisas em uma mina. Eles se apaixonam, mas Sun é filho de um militar importante. Um espinheiro passa a ser o símbolo desse amor impossível, uma história real, em A Árvore do Amor (Under the Hawthorn Tree), de Zhang Yimou.

O “espinheiro dos heróis”, nos arredores da vila rural para onde Jing é mandada, é assim chamado porque ali foram torturados e mortos soldados chineses pelos japoneses na Segunda Guerra Sino-Japonesa. Por isso, no lugar de flores brancas brotam flores vermelhas, uma referência ao sangue, mas também à paixão condenada dos dois jovens. 

Zhang Yimou baseou-se no romance de Ai Mi para contar essa história que tem como pano de fundo a Revolução Cultural, período de grandes transformações na sociedade chinesa. Liderado por Mao Tsé Tung, o movimento visava tirar o poder das elites e abrir caminho para uma nova geração, mais ligada às massas e à juventude. O resultado, porém, foi um estado repressivo e truculento. No entanto, em momento algum há críticas diretas ao governo ou a Mao Tsé-Tung, embora sua presença seja sentida o tempo todo, principalmente no temor reinante, personificado pela mãe de Jing, que é rotulada de “capitalista” e vigiada o tempo todo.

Com uma narrativa clássica fortemente ancorada no melodrama, A Árvore do Amor pode ser comparada às grandes tragédias em que um amor puro e verdadeiro é impedido por forças externas como questões políticas, sociais ou familiares, como em Romeu e Julieta. Os protagonistas Zhou Dongyu (Jing) e Shawn Dou (Sun) encarnam com perfeição os jovens sonhadores, que acreditam que o amor pode superar qualquer dificuldade. Há momentos bastante ternos e alguns engraçados, devido à ingenuidade da jovem. O elenco de apoio também tem um desempenho elogiável, desde Xi Meijuan (mãe), às crianças que interpretam os irmãos de Jing e sua amiga (Rina Sa).

Talvez o mais importante diretor chinês em atividade, premiado em todos os festivais importantes, com obras que são sucesso de crítica e de público, como Sorgo Vermelho, Lanternas Vermelhas, Herói e O Clã das Adagas Voadoras, entre outros, Zhang Yimou é reconhecido por seu trabalho requintado, com fotografia, cenografia, som e outros aspectos técnicos realizados de modo impecável. Tornou conhecidas no Ocidente importantes atrizes como Gong Li e Zhang Ziyi e foi responsável também pela espetacular cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Beijing em 2008. Em A Árvore do Amor, talvez de modo mais sutil, essa marca também se faz presente.



A Árvore do Amor (Under the Hawthorn Tree) – 115 min 
China – 2011 
Direção: Zhang Yimou 
Roteiro: Lichuan Yin e Gu Xiaobai – Baseado no romance de Ai Mi 
Elenco: Zhou Dongyu, Shawn Dou, Meijuan Xi, Xuejian Li, Taisheng Chen, Rina Sa 

Estreia: 06 de outubro (Festival do Rio 2011)
Estreia (circuito): 21 de outubro (apenas RJ)

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top