Publicidade

Transcendence

Crítica - Os Smurfs

30 de julho de 2011


Poucas semanas depois do Ursinho Pooh retornar aos cinemas após um hiato de mais de 35 anos, agora é a vez dos Smurfs invadirem as telonas, pelas mãos, e efeitos especiais, da Kerner Entertainment, com distribuição da Columbia Pictures e Sony Pictures Animation. As adoráveis criaturinhas azuis, que marcaram a infância de muita gente (inclusive a minha), interagem pela primeira vez com seres humanos, fora de sua vila, em uma perfeita integração entre live-action e animação em 3D.

Criados em 1958 pelo belga Peyo, os Smurfs atravessaram gerações e já venderam mais de 300 milhões de bonecos, além de serem personagens de gibis, livros, séries de televisão, filmes, videogames e espetáculos ao vivo. O improvável encontro com seres humanos se dá nesta primeira aventura em 3D, quando a obsessão do malvado feiticeiro Gargamel (Hank Azaria, de Amor e Outras Drogas) leva os Smurfs a um portal mágico e eles acabam trocando acidentalmente sua vila por Nova York.

Como os Smurfs são um exemplo de cuidado com o semelhante e de coletividade, juntos irão tentar a todo custo encontrar uma maneira de voltar à sua vila, antes que o atrapalhado Gargamel, com a ajuda de seu ajudante, o gato Cruel (Frank Welker), os capture. A preocupação com a perfeição estética dos personagens vai desde a maquiagem do feiticeiro, até as hilárias expressões faciais de Cruel, passando, claro, pelos protagonistas, os pequenos azuis.

O maior desafio da produção foi redesenhar os Smurfs para que funcionassem no universo 3D, além de criar o desenho dos novos personagens, Apavorado, Lelé e Arrojado. E a primeira cena do longa já mostra a que veio: o resultado é fantástico. As encantadoras criaturinhas azuis beiram a perfeição e parecem feitas de carne e osso. Parte essencial no processo de criação, a dublagem é competente e fator essencial para o sucesso de Os Smurfs.

Papai Smurf (Jonathan Winters), Smurfette (Kate Perry), Desastrado (Anton Yelchin, de Um Novo Despertar), Gênio (Fred Armisen), Arrojado (Alan Cumming, de Burlesque) e Ranzinza (George Lopez) assumem os papéis de protagonistas azuis, ao lado do casal de humanos Patrick Winslow (Neil Patrick Harris) e Grace (Jayma Mays), que os acolhem na gigante Nova York e ajudam na perigosa – e divertida – aventura.

Como todo blockbuster hollywoodiano direcionado à família, as mais do que batidas lições de moral marcam presença, mas não chegam a quebrar o ritmo do roteiro. Já as geralmente inconvenientes inserções de merchandising são muito bem contextualizadas, com destaque para a cena na qual os Smurfs conhecem a ferramenta de busca online mais famosa do planeta Terra

A trilha sonora também merece destaque, com AC/DC na playlist e uma cena memorável, quando Patrick resolve se desestressar no Guitar Hero ao som de Walk this Way, do Aerosmith, e recebe a ajuda dos Smurfs, com direito a piadinha da cantora Kate Perry. Seja para relembrar os impagáveis personagens ou apresentá-los aos seus filhos, sobrinhos ou irmãos mais novos, não perca Os Smurfs. Entretenimento de qualidade para toda família. Vá ao cinema e boa smurf diversão!



Os Smurfs (The Smurfs) – 86 min
EUA – 2011
Direção: Raja Gosnell
Roteiro: J. David Stem, David N. Weiss, Jay Scherick, David Ronn – Baseado nos personagens de Peyo
Elenco: Hank Azaria, Neil Patrick Harris, Jayma Mays, Sofía Vergara, Tim Gunn
Dublagem Original: Jonathan Winters, Alan Cumming, Katy Perry, Fred Armisen, George Lopez, Anton Yelchin, Kenan Thompson, Jeff Foxworthy, John Oliver, Gary Basaraba, Paul Reubens, Joel McCrary, Frank Welker 

Estreia: 05 de agosto.

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

0 comentários:

Postar um comentário

 
Cinema na Rede | by TNB ©2010 | O conteúdo deste site está protegido sob licença Creative Commons | Marketing Digital: Fizzy