0

A ideia não é nova: alguém precisa voltar no tempo para modificar o passado e salvar o presente. Em Contra o Tempo, o capitão Colter Stevens (Jake Gyllenhaal, de Amor e Outras Drogas) tem que fazer isso várias vezes e ocupando o corpo de outra pessoa, até ter sucesso. Com boa ação e várias referências, o filme de ficção científica de Duncan Jones (de Lunar) proporciona bom divertimento.

Ao descobrir-se num trem a caminho de Chicago, ao lado de uma desconhecida que fala com ele com intimidade, o piloto de helicópteros do exército norte-americano Colter Stevens acredita que está numa simulação. Mas, como em A Origem (Inception), de Christopher Nolan, ele ocupa a mente de outra pessoa. E logo descobre que não está fazendo exercícios, e sim participando de um projeto ultra-secreto, cujo objetivo é visitar o passado para prevenir desastres.

Inicialmente desorientado e relutante, ele é convencido pela militar Colleen Goodwin (Vera Farmiga) e pelo cientista responsável pelo projeto, Dr. Rutledge (Jefrey Wright), a colaborar. Stevens tenta então ganhar a confiança de Christina (Michelle Monaghan, de Um Lugar Qualquer) para descobrir quem no trem é um terrorista. Tal qual em Feitiço do Tempo (Groundhog Day), comédia de 1993 estrelada por Bill Murray e Andie McDonald, a cada retorno à cena do atentado, ele colhe novas informações que o permitirão chegar à resposta que busca.  

Como todo bom sci-fi, Contra o Tempo tem uma explicação ininteligível na verdade, Colter não viaja no tempo, mas a uma realidade paralela, o que não faz a menor diferença, já que é próprio do gênero desafiar as leis da natureza e da lógica. As cenas de ação, que é o que importa mesmo neste tipo de produção, cumprem sua função: dar dinamismo à trama. Os efeitos especiais é que poderiam ser melhores e mais variados. O elenco é adequado, com destaque para Farmiga (de Amor Sem Escalas), que faz uma militar dividida entre a lealdade ao exército e a compaixão pelo capitão Colter, e a boa química entre Monaghan e Gyllenhaal.

O que parece improvável é o romance entre Stevens e Christina, que se envolvem ao longo de vários períodos de oito minutos, tempo máximo de que ele dispõe a cada salto temporal. Nesse sentido, lembra Em Algum Lugar do Passado (Somewhere in Time), romance já clássico (1980) com Christopher Reeve e Jane Seymour outra referência do gênero viagem no tempo. Aliás, o excesso de sentimentalismo é talvez o que impeça Contra o Tempo de atingir todo o seu potencial.  



Contra o Tempo (Source Code) – 93 min
EUA, França – 2011

Direção: Duncan Jones
Roteiro: Ben Ripley
Elenco: Jake Gyllenhaal, Michelle Monaghan, Vera Farmiga, Jefrey Wright, Michael Arden

Estreia: 30 de setembro.


Compartilhe este conteúdo |

Postar um comentário

 
Top