Publicidade

No Olho do Tornado

Crítica - Vênus Negra

11 de junho de 2011


Muitas vezes acreditamos estar em uma época em que já foi superada a maior parte das diferenças entre as pessoas, e então uma notícia ou o pronunciamento de um político nos traz de volta à realidade de que somos uma sociedade ainda muito intolerante. O diretor francês Abdellatif Kechiche vai até o século XIX resgatar uma história real, para nos fazer pensar sobre o que conseguimos evoluir de fato após 200 anos de transformações sociais.

Vênus Negra é a história de uma sul africana chamada Saartjie (Yahima Torres), que em 1810 se apresentava em circos de excentricidades de Londres como Vênus Hotentote, uma espécie de mulher gorila, meio fera e meio humana, que se debatia teatralmente em uma jaula e obedecia as ordens de seu domador. Saartjie foi levada à Europa ao fazer um acordo obscuro com seu patrão na África do Sul, um homem branco, com a promessa de que iriam  conseguir dinheiro e fama com as apresentações, para depois retornarem ao país africano. Com o tempo, as apresentações se tornam mais agressivas, e Saartjie é cada vez mais manipulada por pessoas que ganham dinheiro às suas custas, o que impede que a jovem tenha plena consciência de sua situação, e possa até mesmo aceitar a ajuda de quem poderia defendê-la.

Saartjie, ou Sarah como passou a chamar-se, atraía a curiosidade do público devido às grandes dimensões de seu corpo, que era tocado contra a sua vontade pela plateia perplexa durante as apresentações. Hendrick (Andre Jacobs), seu ex-patrão e atual "parceiro", encarnava a figura do domador aventureiro e insistia em expor o corpo da jovem moça como atração bizarra no circo. Durante sua vida, Saartjie foi explorada até mesmo por anatomistas franceses, que usaram a garota como objeto de estudo antes e depois de sua morte, para provar a tese de que seu grupo étnico era o elo perdido entre os africanos e os macacos.

O filme é marcado pela presença de cenas extensas que se passam em tempo real, e que se repetem de forma similar durante a história, na qual o corpo de Saartjie é continuamente exposto como um animal. As cenas chegam a causar esgotamento e cansaço na plateia, e tornam o filme bastante longo, mas por outro lado possuem como vantagem o poder dar realismo e ênfase às situações humilhantes vividas pela personagem. Ademais, a atuação da estreante cubana Yahima Torres no papel é impecável, e a força com que consegue transmitir as sensações de Saartjie recompensa os excessos.




Vênus Negra (Vénus Noire) – 159 min
França, Itália, Bélgica – 2010
Direção: Abdellatif Kechiche
Roteiro: Abdellatif Kechiche, Ghalia Lacroix
Elenco: Yahima Torres, Andre Jacobs, Olivier Gourmet, Elina Löwensohn, François Marthouret

Estreia: 17 de junho.

Em cartaz (08 a 16 de junho) no Festival Varilux de Cinema Francês

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

0 comentários:

Postar um comentário

 
Cinema na Rede | by TNB ©2010 | O conteúdo deste site está protegido sob licença Creative Commons | Marketing Digital: Fizzy