1

Potiche: Esposa Troféu se passa 1977. Suzanne Pujol (Catherine Deneuve) é a herdeira da fábrica de guarda-chuvas do pai e o seu marido Robert Pujol (Fabrice Luchini) dirige o negócio com pulso firme. Enquanto Robert vive entretido e estressado com o trabalho, Suzanne aproveita das suas suaves caminhadas matinais, do canto dos passarinhos e escreve poemas. 

As coisas começam a mudar quando os operários da fábrica Pujol entram em greve, lutando por seus direitos trabalhistas. Robert, muito ambicioso, não quer de maneira nenhuma fazer um acordo com seus funcionários e de tanto estresse acaba adoecendo. Suzanne, então, toma a frente nos negócios e com a ajuda de Maurice Babin (Gérard Depardieu, de Minhas Tardes com Margueritte), ex-sindicalista, resolve com ótima desenvoltura os problemas da greve. Quando Robert melhora e volta de viagem as coisas se complicam e o casal começa uma disputa de poder. Tais acontecimentos desencadeiam uma série de mudanças na vida dos personagens. 

Como evidenciado no título do filme, Suzanne é inicialmente um “potiche”, apenas uma esposa troféu. Completamente ofuscada pela severidade e infidelidade de seu marido, suas opiniões não recebem valor dentro de sua própria casa. Apesar disso, a personagem parece uma espécie de personagem da Disney, sempre sorridente e sonhadora. Porém, ao se revelar uma mulher forte e determinada, descobrimos outras características que não imaginaríamos em uma esposa troféu. Suzanne é uma mulher cheia de pequenos segredos que parecem ser o motivo para o sorriso permanente em seu rosto. 

O ambiente dos anos 70 se apresenta encantador, seja pela trilha sonora ou pelos figurinos. O longa é deliciosamente feminista e atual. François Ozon (de Ricky) usou a comédia para falar de um assunto sério, e trouxe um novo aspecto para o tema, visto por muitos como ultrapassado. Catherine Deneuve está maravilhosa como sempre e Gérard Depardieu explora com desenvoltura um tom de galã no seu personagem comunista. Sem dúvidas, Potiche: Esposa Troféu reserva boas risadas e ótimas surpresas para o público.



Potiche: Esposa Troféu (Potiche) – 103 min
França – 2010
Direção e Roteiro: François Ozon
Elenco: Gérard Depardieu, Catherine Deneuve, Fabrice Luchini, Jêrémie Renier

Estreia: 23 de junho.

Em cartaz (08 a 16 de junho) no Festival Varilux de Cinema Francês

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Assisti ontem ao filme e, a despeito de todas as críticas favoráveis, não gostei. O enredo podia render muito mais, o desenrolar da história poderia ser muito mais coeso e os personagens, menos caricatos, especialmente o de Robert Pujol e sua secretária.
    O lado positivo é o não maniqueísmo absoluto dos personagens (o dirigente comunista, que se preocupa com o povo e a luta de classes, mas é capaz de deixar uma mulher sozinha a 5 km de seu trabalho, no meio de um bosque. A "Evita Perón" que não gosta de cumprimentar a senhora humilde na feira) e o teor de realidade que o filme nos traz.
    No mais, vale como uma sessão de domingo, nada mais.

    ResponderExcluir

 
Top