0

As relações de trabalho, a substituição do homem pela máquina, e a realidade do trabalhador brasileiro, são alguns dos temas gerais tratados nesse filme que direciona seu olhar muito mais para questões sociais do que para a história pessoal de seu protagonista. No Olho da Rua é o primeiro longa de ficção de Rogério Corrêa, que desde os anos 70 já fez diversos curtas e média metragens, além de documentário focados em questões sociais e trabalhistas, como Os Queixadas, de 1978. 

Contando com um baixo orçamento, Rogério fez um filme ambientado no universo metalúrgico da região do ABC, na grande São Paulo, e mostra um movimento sindical que já não possui a mesma força de luta de outrora. Otoniel Badaró (Murilo Rosa) é um metalúrgico que, após 20 anos dedicados à sua empresa, perde seu emprego de forma sumária, sem ao menos ser avisado previamente, e cheio de cólera, assina sua demissão com o próprio sangue arrancado com um estilete. Oton, como é chamado por seus amigos, também vive problemas em seu relacionamento conjugal com Camila (Gabriela Flores), que está grávida do segundo filho do casal. 



No início do período de desemprego, Oton conhece Algodão (Leandro Firmino da Hora), um estudante de cinema que o ajuda a ganhar algum dinheiro fazendo carretos, e a amizade do jovem o deixa mais otimista com sua situação. Mas o pouco dinheiro conseguido, e suas constantes brigas com Camila, vão levando Oton a uma crise pessoal que só piora a cada momento. A atuação de Murilo Rosa como protagonista é bastante boa, e também agradam as atuações dos demais personagens, com destaque para Pascoal da Conceição. Conhecido por seus trabalhos na televisão, entre eles o Dr. Abobrinha do infantil Castelo Rá-Tim-Bum, Pascoal faz o papel de líder sindical, além de ser pastor evangélico e um dos colegas de trabalho mais próximos de Oton

No Olho da Rua não deixa de cometer alguns exageros no drama vivido por Otoniel, e apesar da preocupação social do longa, a figura feminina pareceu ter sido retratada de forma um tanto negativa, e até mesmo com alguns preconceitos sutis. Apesar disso, se destaca positivamente a preocupação do diretor em incluir cenas de humor na história, já que se trata de um filme predominantemente dramático, mostrando que nem só de dor se constitui a vida, mesmo quando passamos pelas situações mais difíceis.



No Olho da Rua – 100 min
Brasil – 2010
Direção: Rogério Corrêa
Roteiro: Di Moretti
Elenco: Murilo Rosa, Gabriela Flores, Pascoal da Conceição, Eric Lenate, Leandro Firmino da Hora

Estreia: 13 de Maio.

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

 
Top