1

A célebre frase de Vinicius de Morais, segundo a qual a vida é a arte do encontro, serviria perfeitamente à existência de Barney Panofsky (Paul Giamatti, de Sideways - Entre Umas e Outras), que relata sua vida pouco convencional numa história recheada de eventos marcantes, ao mesmo tempo tristes e hilários. Barney, um canadense de família judia, passa a revisitar os anos mais importantes de sua vida na data de lançamento de um livro no qual um detetive o acusa de assassinar seu melhor amigo, caso não comprovado pela polícia mas defendido com afinco pelo investigador. Diante do livro aberto, Barney nos leva através de seus 3 casamentos, que na verdade foram os grandes capítulos de sua história.

O filme cumpre a difícil tarefa de ser a versão cinematográfica do romance A Versão de Barney, de Mordecai Richler, publicado no Brasil pela Companhia das Letras. Difícil porque Mordecai é conhecido por seus textos longos e carregados em acontecimentos, mas após a exibição de 2 horas e 12 minutos de filme, que não tardaram nada a passar, fica a impressão de uma transposição muito bem feita (para um espectador que ainda não leu o livro, importante ressaltar). Mordecai Richler é uma das mais importantes figuras da literatura canadense, considerado por muitos como o proeminente de sua geração, e seu talento fica evidente quando nos deparamos com Barney. O personagem impressiona por seu humor característico e sarcástico, muito bem construído e interpretado, que nos deixa muitas vezes contrários a suas atitudes, mas que acabam nos fazendo rir de suas situações. 

Barney possui entre outras qualidades, e alguns defeitos que acabamos perdoando, uma inigualável capacidade de ver e mostrar o lado cômico de seus contratempos, o que o faz levar a vida com um pouco mais de leveza,  característica provavelmente herdada de seu pai, um policial da velha guarda muito bem interpretado por Dustin Hoffman, e igualmente engraçado. A Minha Versão do Amor chegou a ser apontado pela crítica como provável concorrente nas principais categorias do último Oscar, mas acabou indicado apenas ao prêmio de melhor maquiagem, o que não diminui em nada o ótimo filme que é, e o que é compreensível dado o alto padrão de qualidade dos filmes que rechearam a versão 2011 da premiação, o que nem sempre acontece.



A Minha Versão do Amor (Barney’s Version) – 132 min
Canadá, Itália – 2010

Direção: Richard J. Lewis
Roteiro: Michael Konyves – Baseado no romance Barney’s Version, de Mordecai Richler
Elenco: Paul Giamatti, Dustin Hoffman, Rosamund Pike, Minnie Driver, Rachelle Lefevre, Scott Speedman, Bruce Greenwood

Estreia: 21 de Abril

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Um filme muito bom, gostei. A atuação do talentoso Dustin Hoffman estava excelente assim como em Luck, seu mais novo trabalho. Ele é meu ator favorito!!

    ResponderExcluir

 
Top