17

Água para Elefantes, de Francis Lawrence, por apresentar estrutura narrativa na qual o personagem principal conta uma história marcante ocorrida no passado, tem a necessidade urgente (e obrigatória) da presença de um ator talentoso, capaz de oferecer ao protagonista os ingredientes emocionais necessários para torná-lo crível em sua, então, árdua e surpreendente jornada. Robert Pattinson não é esse ator. A caracterização pífia não enterra o filme que tem lá seus méritos, mas contribui decisivamente para diminuir o potencial dramático da obra. E isso não é pouco. Faltou um fio para o fracasso.

Baseado no romance homônimo de Sara Gruen, a história trata da guinada inesperada na vida de Jacob Jankowski (Robert Pattinson), um jovem adulto estudante de Veterinária que após perder seus pais e encontrar-se arruinado financeiramente durante a Depressão, foge sem rumo disposto a “não olhar para trás”. Ao entrar no trem de um circo itinerante, Jacob torna-se membro da ‘comunidade circense’ e tem que lidar com desafios ao se apaixonar pela encantadora da elefanta Rosie, Marlena (Reese Whiterspoon), esposa de August (Cristoph Waltz), o dono do circo, um homem que  tenta transparecer cordialidade, mas é extremamente autoritário e cruel, no trato com seres humanos e animais.

E é na figura maléfica de Água para Elefantes que se encontra uma das principais qualidades do longa. Christoph Waltz concebe com maestria um vilão que em uma simples conversa demonstra-se debochado, irônico e impiedoso, com o correto alternar de semblantes e mudanças no tom de voz. Sem uma gota de remorso, August é capaz de jogar artistas considerados ‘inúteis’ de cima do trem para não ter que pagá-los, e assim garantir o devido lucro ao circo; da mesma forma que maltrata a elefanta com extrema fúria.

Vale destacar a eficiente sequência em que, dentro de um vagão, desfere uma surra no animal, que berra desesperadamente. Os golpes de fato não são mostrados, o que reforça o efeito dramático da situação, pois é extremamente forte e comovente ouvir a ‘espécie de clamor de socorro do animal’ enquanto o vagão balança. É bom lembrar que o diretor Francis Lawrence, em Eu Sou a Lenda, também dirige uma cena triste envolvendo um animal; no caso específico o cão parceiro do personagem de Will Smith.



Será que Lawrence dirige animais melhor que seres humanos? Neste caso, em termos. Embora seja impossível crucificá-lo pela atuação desastrosa de Robert Pattinson, a direção faz de tudo para esconder quaisquer que sejam as demonstrações ‘faciais’ de emoção do ator. Em certa situação, após receber a notícia da morte dos pais, Jacob, estranhamente sereno e frio, encara o vazio – até aí o plano mostra o vácuo inexpressivo do olhar do ator – mas no corte seguinte, no qual Jacob aparece vomitando, possivelmente inconsolável com a situação, somente a imagem sombreada do personagem aparece; nenhum olhar, nenhuma lágrima. 

Na maratona de sentimentos, resultado de situações tensas consequentes do convívio com o imprevisível August, o exaspero de Jacob seria, minimamente, verossímil. Mas a direção teima em filmá-lo com uma frieza incomum. Nos momentos de embates físicos, por exemplo, a testosterona é mínima. Tive a impressão que, por reconhecer as limitações do astro, o diretor quis poupá-lo. Será? 

O romance entre Marlena e Jacob, para incrementar a sequência de equívocos, é concebido de maneira artificial e jamais empolga, por causa da escassa química entre ambos. O vilão August e a elefanta Rosie são os melhores personagens de Água para Elefantes, um filme cujo desenrolar da história não é ruim. Infelizmente pagou-se um preço altíssimo por ter como ‘condutor’ desta trama um ator que transformou, justamente o ‘protagonista’, no personagem menos interessante da obra.



Água para Elefantes (Water for Elephants) – 122 min
EUA – 2011
Direção: Francis Lawrence
Roteiro: Richard LaGravenese – Baseado no romance de Sara Gruen
Elenco: Reese Witherspoon, Robert Pattinson, Christoph Waltz, Paul Schneider, Jim Norton, Hal Holbrook, Mark Povinelli

Estreia: 29 de abril.

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Nossa... por vc não gostar do Robert Pattinson.. isso não significa que ele é péssimo ator!
    Ele se saiu muito bom..
    Revise seus conceitos.. e estude um pouco de cinema!!

    ResponderExcluir
  2. Vale destacar que a Reese Witherspoon e o Robert Pattinson vêem trocando farpas na mídia. Poderia ser apenas para promover o filme de alguma maneira, mas (considerando-se o resultado da adaptação) acredito que realmente não rolou química entre os dois. Uma pena, pq a Witherspoon - ao contrário de Pattinson - tem talento e isso acaba não sendo suficiente quando quem mais deveria brilhar é muito fraco.

    ResponderExcluir
  3. o livro é um dos melhores que já li, e é uma pena que futuramente seja lembrado por mais um filme de Robert, e não pela maravilhosa dramaticidade da obra literária.

    ResponderExcluir
  4. Acho que você critica o Robert por causa de Crepúsculo! Acha o filme ruim e acha que o resto também é! Acho que não é por aí...

    ResponderExcluir
  5. Agradeço pelos comentários, sejam estes concordantes ou não.

    Afirmo,no entanto que não critiquei o Pattinson do Crepúsculo, tanto é que nem citei o filme nesta análise. Considero a interpretação do ator extremamente 'falha' e aquém das necessidades da história neste filme. Além disso, não há consistência na narrativa para que as características emocionais do personagem sejam explicitadas. Neste caso a 'culpa' também é da direção.

    Quando Pattinson realizar um bom trabalho, elogiarei.

    ResponderExcluir
  6. Putz... Aqui no Cinema Na Rede tá cheio de caprichetes fãs de Crepúsculo, só pode. O Robbert Pattinson atuou mal sim, e o fato de ele ser famoso e estar estrelando na saga Crepúsculo não significa que ele seja um ótimo ator pra filmes dramáticos. Pro público que Crepúsculo atinge, a atuação dele foi OK, ninguém fica julgando atuação em filmes como Crepúsculo. Agora, em relação a Água Para Elefantes, quem já leu o livro provavelmente vai se decepcionar por não conseguir ter as mesmas sensações no filme de quando lemos o livro, justamente pelas expressões mal-trabalhadas do ator.

    ResponderExcluir
  7. Eu li o livro antes do filme ser lançado e, realmente, não achei que o filme tenha atingido as expectativas. Porém, a julgar por outros trabalhos, Robert Pattinson se superou - e muito - no desenrolar desse filme.
    As falhas citadas pelo Bruno, acredito que foram "culpa" - mais do que pela falta de talento ou experiência do ator - da direção e produção do filme, que não deram espaço para uma melhor atuação, não só de Pattinson, como também de Reese. Ficou claro que, além de uma péssima adaptação, também não houve química alguma entre os atores.

    ResponderExcluir
  8. Gostei do filme. Não é extraordinário mas considero um bom filme. É verdade que faltou um pouco de intensidade. Contribuiu para isso o facto do par romântico não convencer muito na sua paixão.Talvez seja influenciada pelo facto de não apreciar a Reese Witherspoon, embora a considere boa actriz. Mas, apesar disso, nos tempos que correm, quando se consegue, como foi o caso, prender a atenção das pessoas num filme de duas horas, sem sexo, tiros, cenas de sexo escaldantes,perseguições automóveis a grande velocidade, ... é um feito. É um filme calmo mas que mexe com variadissímas emoções, que vão muito para além do romance da história. Quanto ao Robert Pattinson, gostei de o ver. Tenho a dizer que tenho 40 anos, casada, com filhos, por isso não pertenço ao grupo de fãs adolescentes que o seguem, mas que o rapaz encanta isso é verdade. Não concordo com a crítica da falta de expressões faciais. Os olhos dele falam connosco.

    ResponderExcluir
  9. Eu amo robert pattinson.. ele é maravilhoso de qualquer jeito
    meu sonho é estar junto dele pra sempre.
    os filmes que ele faz me encanta com seu jeito de ser.
    robert por favor fasso qualquer coisa pra te conhecer.

    ResponderExcluir
  10. Eu esperava mais da atuação de Robertt Pattinson...

    ResponderExcluir
  11. Ainda nao vi o filme, mas a meu ver, pelo próprio conteúdo da história, eu nao diria que precisaria de um ator mais talentoso, mesmo pq considero Robert Pattison um bom ator sim. Ele melhorou muito desde o primeiro filme da Saga Crepúsculo até aqui, passando pelo ótimo "Lembranças", no qual achei q ele se superou e interpretou mto bem o papel, com a carga dramática q exigia. Agora "Água para elefentantes" é um filme em outro nível, mais elevado, e exigiria talvez alguém mais experiente para o papel. Mas acredito que ele tenha se saído bem sim. Vou assistir e volto para dar uma melhor opiniao.

    ResponderExcluir
  12. O livro é excelente, mas o filme só não agradou muita gente porque parece que quizeram manter o livro com bastante fidelidade, o que nem sempre é bom (exemplo de lua nova e reliquias da morte parte um). o que funciona na literatura nem sempre funciona no cinema. se tivessem deixado o filme com mais caracteristicas de um filme e não de um livro, teria ficado bem melhor, pois a história é muito boa. agora, quanto a atuação de robert, diria que foi culpa da produção, pois achei ele um jacob bem satisfatório, considerando o personagem do livro. deveriam explorar mais as expressões faciais dele.

    ResponderExcluir
  13. Não acho que Pattinson seja um ator ruim, talvez lhe falte mais experiência. Quem sabe, se o filme fosse dirigido por um diretor mais competente, o ator conseguiria render um trabalho mais convincente?
    Me pareceu que houve uma certa preguiça pelo diretor em explorar mais seus personagens e torná-los mais complexos e envolventes. Uma pena. um desperdicio. Se este tivesse um pouquinho mais de empenho no estudo dos personagens, reforçando o já bom roteiro, este seria um filme inesquecível para muitas pessoas!

    Me corrijam se eu estiver errada.

    ResponderExcluir
  14. Que ele é lindo isso é fato, quanto a atuar creio que tem ainda um longo aprendizado pela frente, mas ele chega lá um dia, pois parece ser um ator muito dedicado. Li o livro e é maravilhoso, mas o filme deixa muito a desejar, não creio que pela atuação dos atores mas o roteiro é fraco e superficial. Também acho o casal Pattinson e Reese não teve muita quimica não.

    ResponderExcluir
  15. Gostei bastante do filme e achei a atuação de Pattinson surpreendentemente boa, sendo um jovem ator vindo de trabalhos de qualidade tão duvidosa. Ele é contido e intenso na medida. O que estraga a química do casal é a má atuação de sua parceira Reese Witherspoon, que se exibe às vezes caricata, outras apática demais. Sem paixão e sem nem chegar perto de corresponder à complexidade da personagem. Waltz não precisa de comentário, ótimo como sempre. Mas o saldo é positivo, o filme emociona e fica na memória. recomendo.

    ResponderExcluir
  16. O legal de tudo são as pessoas que chegam e criticam, não veem o brilho interior e a mensagem que o filme quer passar a ela. Onde cada um ali pode ter chegado, cada esforço feito para fazer um ótimo drama-romance. É algo inspirador, ao meu ver. Com ótimas atuações. Não porque idolatro Robert. (mas eu idolatro mesmo) Mas o filme foi o único que me deixou, realmente, apreensivo quase finalizando-o. Eu não sou de ver muitos filmes e percebo que, eu pego somente os que marcam minha vida, de alguma forma. É uma bela obra e merece total respeito. E por mais difícil que seja, por mais que o mundialismo odeie Robert por causa de Twilight... Eu só lamento. Vejam então, outros filmes e o julguem melhor, dessa vez.

    ResponderExcluir
  17. Sou professora de Literatura, tenho 44 anos,não sou exatamente uma fã. Tenho acompanhado tudo aquilo qte tem interessado meus alunos. No caso de Robert Pattinson, acredito que o fenômeno de popularidade e de mobilização passional de milhões de pessoas ao mesmo tempo não é só um efeito da campanha de mídia que o rodeia. Ele tem algo que certamente nem ele controla nem tem a exata dimensão. Ele desperta algo nas pessoas, principalmente nas mulheres, desencadeando essa paixão toda, esse frenesi. Tenho acompanhado relatos de fãs, são anormalmente intensos e tem como linha em comum fazer dele a representação dos anseios mais inatingíveis de cada um deles e de todos eles, sem exceção. Robert está decididamente aprendendo a lidar com isso e se firmar como ator talentoso(reconheço que tem uma certa limitação em expressar suas emoções, talvez sua timidez) e não como mito. Ele se desconstrói como mito todo o tempo. Só espero que ele não seja massacrado por ser o alvo de sentimentos tão extremos dessa multidão que grita por ele. Realmente o mérito é todo dele, mas ninguém merece esse tormento. Sem o extremo carisma (vamos chamar assim! ) de Robert, Crepúsculo seria somente mais um filme para adolescentes... Ele tem se esforçado bastante!!! Lembra-se do início da carreira de Brad e Di Caprio?! Não foi muito diferente...

    ResponderExcluir

 
Top