1


Alguns atores se destacam pela capacidade de interpretar tipos específicos. Outros representam um perfil camaleônico e encaram transformações físicas inacreditáveis no intuito de garantir verossimilhança a determinado personagem. Christian Bale é um deles. O ator emagreceu 28 quilos para viver um insone no filme O Operário (2004), depois apareceu musculoso em Batman Begins (2005) e, agora, volta a emagrecer para compor um ex-lutador de boxe, viciado em crack, em O Vencedor, do diretor David O. Russel

O talento do artista, no entanto, não é evidenciado apenas pelas transformações físicas neste papel, mas, sobretudo, por uma caracterização minuciosa e sensível, que garantiu ao ator o Globo de Ouro de ator coadjuvante e uma indicação ao Oscar, na mesma categoria. Sim, Christian Bale rouba a cena, mas O Vencedor é um filme com méritos inquestionáveis, devido às indubitáveis qualidades técnicas, um bom roteiro e à correta participação dos demais nomes do elenco.

Dicky Ecklund (Christian Bale) é um ex-lutador de boxe, que se vangloria por uma vitória sobre o lendário Sugar Ray, mas, atualmente, é viciado em crack e com várias passagens pela polícia. Junto com a família, Dick tentará fazer do seu  meio-irmão, Micky Ward (Mark Wahlberg), um novo campeão do esporte. Mais centrado, maduro e sóbrio, Micky questionará: até que ponto o apoio da família é importante para o seu amadurecimento profissional e pessoal? Detalhe: o filme é inspirado em uma história real.



Com estrutura técnica extremamente cuidadosa, O Vencedor é daqueles filmes com várias indicações ao Oscar, lançados justamente no período que antecede as principais premiações. As qualidades são evidentes e fazem jus à presença do longa nas disputas. Desde a edição caprichada – o paralelo entre a cena na qual Dick imagina passar a perna por cima de um oponente, enquanto o nocauteia, e aquela em que, no estado decadente que se encontra no presente, passa a perna por cima de um amigo drogado, tem beleza estética e importância narrativa, ao sintetizar os diferentes estágios na vida do personagem –, até o trabalho do elenco e o roteiro, que enfatiza os aspectos humanos dos personagens sem cair no melodrama. 

O roteiro é enxuto, redondo, mas, no entanto, não explora com devida minúcia o personagem de Bale. O fato não compromete o desencadeamento narrativo. O filme, obviamente, não poderia centrar-se no drama do indivíduo, para não deixar como secundária a trama da ascensão profissional de Micky Ward, o cerne da obra. Mas perde em verossimilhança, ao não se aprofundar no declínio de  um personagem viciado em uma droga tão pesada como o crack. A cena em que Dick sofre de abstinência na prisão é contundente, porém curta. O pequeno defeito revela-se quase insignificante devido à magnífica interpretação de Christian Bale, que personifica um indivíduo problemático, inconsequente, mas, ao menos tempo, bondoso e dócil. Não é fácil manter este equilíbrio e representar vários estados psicológicos por intermédio de tiques, trejeitos e na maneira peculiar de declamar as frases. 

Com perfeita orquestração das cenas de luta câmeras lentas e plano detalhe no sangue jorrando são referências óbvias, mas bem-vindas, à Touro Indomável (1980) – O Vencedor transmite  tensão e a emoção de um combate ao espectador, ao mesmo tempo  em que emociona com uma história sobre a superação de dificuldades e a necessidade de união para enfrentar desafios. Além, claro, de ter o coadjuvante de luxo para acrescentar pontos positivos. Christian Bale é o cara. Estreia: 04 de fevereiro.

7 Indicações ao Oscar: Filme, Diretor, Ator Coadjuvante (Christian Bale), Atriz Coadjuvante (Melissa Leo, Amy Adams), Roteiro Original, Edição.

O Vencedor (The Fighter) – 115 min
EUA – 2010
Direção: David O. Russell
Roteiro: Scott Silver, Paul Tamasy, Eric Johnson
Com: Mark Wahlberg, Christian Bale, Amy Adams, Melissa Leo, Mickey O'Keefe, Jack McGee



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Engraçado, o trailer não me animou muito. A história parecia tão "eu já vi isso antes". Mas, diante das suas observações, eu fiquei até curiosa para assistir. ;)

    ResponderExcluir

 
Top