1



O que, a princípio, pode parecer um filme com atores interpretando personagens com menos idade do que suas idades reais, somente para manter o estilo que os consagraram, é na verdade uma comédia que apresenta dois adultos maduros, na casa dos 40, e sua relação com gerações mais novas, em um mundo onde a juventude é cada vez mais cobrada. Enquanto afogava suas mágoas em um bar após descobrir uma traição no dia de seu casamento, Danny (Adam Sandler, de O Paizão) descobre por acaso que uma aliança no dedo e uma história triste são os aliados perfeitos para se dar bem com garotas que estão cansadas das cantadas grosseiras dos garanhões tradicionais.

Anos mais velho e muitas garotas depois, após ter trocado a cardiologia pela cirurgia plástica para corrigir seu nariz de chuchu, Danny vive sua rotina de Dr. Hollywood entre bares, festas badaladas e sua clínica em Beverly Hills, junto à sua assistente e braço direito Katherine (Jennifer Aniston, de O Caçador de Recompensas), que ao contrário de suas garotas, não possui muito sex appeal.

Sem usar sua falsa aliança, Danny conhece Palmer (Brooklyn Decker) em uma festa, uma estonteante garota de 20 e poucos anos, com quem se dá muito bem, mas, após uma noite de amor, acha a aliança entre as roupas de Danny, que não revela seu segredo de “falso casado” para não se mostrar um cafajeste à garota. Apaixonado, ele usa toda a ajuda possível de Katherine como sua falsa esposa para fingir um casamento em crise e poder continuar com Palmer, que a princípio o tinha dispensado por não querer ser a amante de um homem casado.



Assim, a mentira torna-se uma bola de neve que envolve cada vez mais pessoas, incluindo os engraçados filhos de Katherine, Maggie e Michael (Bailee Madison e Griffing Gluck), que dão um toque especial ao humor do filme. A comédia tem o estilo característico de Adam Sandler, que dispara comentários irônicos – nem todos tão bons como no passado –, um após o outro, e explora as diferenças entre as gerações não só de 40 e 20 anos dos personagens centrais, mas também de pessoas mais velhas e crianças de hoje.

O diretor Dennis Dugan, que já trabalhou muitas vezes com Sandler, inclusive no ótimo O Paizão, encontra algumas formas de mostrar essas relações por intermédio de uma crítica à má aplicação de cirurgias plásticas, ao mostrar pessoas que exageraram nos “reparos” da idade, e no uso como trilha sonora de versões modernizadas de pelo menos três canções da banda The Police, muito famosa nos anos 80, e que faz parte da geração de Danny e Katherine.

Esposa de Mentirinha conta ainda com a participação de Nicole Kidman no papel de uma amiga de faculdade de Katherine, que se casou com um famoso empresário (Dave Matthews, da Dave Matthews Band) e a reencontra por acaso, fazendo com que as mentiras se tornem ainda mais complexas e engraçadas. Lançado nos Estados Unidos à véspera de seu dia dos namorados, Esposa de Mentirinha chega a ser engraçado, mas exagera em algumas piadas e personagens, e, independentemente dos assuntos que aborda, consegue ser uma boa opção em seu gênero de comédia romântica. Estreia: 04 de Março.

Esposa de Mentirinha (Just Go With It) – 116 min
EUA – 2011
Direção: Dennis Dugan
Roteiro: Allan Loeb, Timothy Dowling
Com: Adam Sandler, Jennifer Aniston, Brooklyn Decker, Nicole Kidman, Nick Swardson, Bailee Madison, Griffin Gluck, Kevin Nealon




Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Gostaria apenas de fazer um aparte à crítica. O filme é uma comédia regular, não sou fã de Jennifer Anniston, e Adam Sandler faz direitinho seu papel. Interessante que na hora que o avião que é a personagem Palmer( Brooklin Decker) entra na cachoeira, não há nenhuma trilha sonora, ao passo que na hora da "diva" Jenn entrar de biquíni, eles colocam uma ótima remixagem de Tainted love( só a base) misturada com o vocal de Bob Marley ( Is this love).Claro, que fizeram isso pra valorizar a cena da personagem dela, mas o filme vale a pena ver...

    ResponderExcluir

 
Top