1


Todo mundo, pelo menos quando era pequeno, já pensou em voar. Fosse para imitar os passarinhos, para tentar ir atrás do balão de gás hélio que escapou das mãos e, principalmente, para fugir do castigo, ter asas sempre parecia uma boa opção. E isso não é diferente para a serelepe Gigi. Seu sonho parece próximo de se realizar quando, um dia, ela ganha uma fantasia de pinguim do seu pai. Desde então, a garota não tira a roupa por nada e, é claro, vira motivo de risada entre os outros coleguinhas. Todos dizem que pinguins não voam, mas tente colocar isso na mente de uma criança determinada.

Certa noite, Gigi recebe o inesperado convite de um gato de brinquedo e vai parar em um mundo fantástico, cheio de criaturas diferentes e interessantes. Acreditando que a menina é a salvadora esperada por tanto tempo, o grupo pede sua ajuda para livrar a Vila dos Duendes do malvado Boukkha-Boo. Os cenários e personagens são super coloridos, bem atraentes aos olhos dos pequenos. Para os adultos, resta captar o outro lado das histórias, como o caso de um menino que clamava ser um demônio, já que antes era um “anjo que escorregou do céu”. Impossível não lembrar das aulinhas de catequese.

Essa é a primeira produção em computação gráfica do renomado Madhouse Studios, produzida em parceria com a francesa Dynamo Pictures. Assinado pelo diretor Rintaro – de Metrópolis (2001) , O Mundo Encantado de Gigi já foi exibido nos cinemas japoneses em dezembro do ano passado e chega por aqui com bastante atraso. Mas é uma animação bonitinha. Estreia: 24 de dezembro.

O Mundo Encantado de Gigi (Yonayona Pengin) - 87 min
Japão, França - 2009
Direção: Rintaro
Roteiro: Tomoko Konparu
Dublagem Original: Rica Matsumoto, Ei Morisako, Yûji Tanaka, Satoshi Kanada, Hikari Ôta, Yoshio Kojima, Hiroshi, Akiyoshi Kawashima



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. "Mas é uma animação bonitinha". Isso significa o que, precisamente?

    ResponderExcluir

 
Top