5

Depois de vencer o Festival de Brasília de 2007 nas categorias Melhor Ator (Eucir de Souza), Ator Coadjuvante (Milhem Cortaz) e Melhor Longa Metragem (prêmio da crítica), três anos depois, finalmente, Meu Mundo em Perigo vai estrear comercialmente nas salas de cinema. O novo filme de José Eduardo Belmonte do anárquico A Concepção (2005) é uma espécie de Iñárritu brasileiro, com três núcleos entrelaçados em uma história de dor, perda, arrependimento e medo. Elias (Eucir) vê seu mundo em perigo quando está prestes a perder a guarda do filho para sua ex-mulher, uma junkie em recuperação. Além disso, suas estruturas começam a desmoronar quando atropela acidentalmente e mata uma pessoa. Desesperado e alcoolizado ele foge sem prestar socorro.

O atropelado é pai de Fito o excelente Milhem Cortaz, o tenente-coronel Fábio de Tropa de Elite 2 –, que estava voltando da comemoração de seu aniversário. Elias não sabe o que fazer e vai tentar recuperar suas forças perdidas no encanto que uma desconhecida provoca em seu olhar de fotógrafo. Ele a segue até um hotel decadente no centro de São Paulo e lá descobre que Isis (Rosane Mulholland) também está fugindo de alguma coisa ou de alguém. Uma improvável amizade entre duas pessoas tão diferentes tem início na dor em comum e no sentimento de necessidade de mudança, já que a vida não abastece mais suas almas.  

O texto é quase literário, mas sem parecer forçado como muitos filmes que têm diálogos mais poéticos, e, apesar de concentrar os sentimentos dos protagonistas na angústia, a busca pela superação mesmo que os personagens não façam ideia de como atingir a redenção e pareçam emocionalmente perdidos é intrínseca a eles. Por mais que não vejam a luz no fim do túnel de uma viagem de amargura, é tentando encontrar apoio no próximo que Elias e Isis vislumbram que a distante superação pode sim vir ser alcançada e, em sua relação, ficam os questionamentos: Como se conhece alguém? Pela palavra, pelo medo ou por não falar, mas sim ouvir? Enquanto isso, Fito, em busca de vingança, tenta investigar quem matou seu pai. 


A visão filosófica do roteiro de Belmonte e Mário Bortolotto, ao mesmo tempo em que oferece doses homeopáticas de esperança, toca na ferida da ética e da moral, e demonstra que, como dizia Raul Seixas, "Certo e errado não existem. Todo mundo tem razão. O ponto de vista é que é ponto da questão". Apesar de sofrer com as humilhações do pai (mesmo que procurasse levar tudo na esportiva), Fito está desesperado pela sua morte, mas sua esposa só consegue sentir alívio, pois não suportava os maus tratos do sogro. O filme aborda temas densos e filosóficos, não só em texto, mas também em imagens.

A narrativa fragmentada é favorecida pela montagem e movimentos de câmera, que não têm  intenção de agradar visualmente, mas sim de ser elementos a mais, para destacar os sentimentos à flor da pele exalados pelo sofrimento dos personagens. Em determinado momento, a ficção assume caráter documental, quando a história de Elias, Isis e Fito é deixada de lado para apresentar os funcionários do hotel (tão importante para a trama, que até parece um personagem de carne e osso). Talvez a intenção do distanciamento momentâneo da história tenha sido justamente esta: dar vida ao hotel e fazê-lo respirar. Meu Mundo em Perigo é daqueles filmes que fazem pensar e deixam o espectador sem palavras ao fim da sessão, com um final supreendente, impactante e extremamente filosófico. Genial. Estreia: 17 de dezembro

Meu Mundo em Perigo - 92 min
Brasil - 2010
Direção: José Eduardo Belmonte
Roteiro: José Eduardo Belmonte, Mário Bortolotto
Com: Eucir de Souza, Rosane Mulholland, Milhem Cortaz, Lili Bandeira, Ziza Brizola, Wolney de Assis, Justine Otondo, Rafael Henrique Miguel, Bruno Giordano, Juliano Cazarré



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter

Postar um comentário

  1. Acabei de chegar do cinema. Esse diretor realmente é diferenciado. É um ótimo diretor de atores, isso é nítido. Ainda estou enebriado pelo clima do filme, meio noir, denso e dramático. Excelentes as atuações de Eucir de Sousa e de Rosanne Mulholland, esta talvez em seu melhor papel.

    Viva o cinema de autor.

    ResponderExcluir
  2. Espetacular!! Adoro o trabalho do excelente ator Eucir de Souza. Ele é o ator principal da mais nova série brasileira da HBO que convida você a experimentar a vida através dos olhos de um juiz de futebol vaiado durante a Copa Libertadores. O contexto de fdp é muito interessante, diferente das séries atuais. Eu quero assistir essa série.

    ResponderExcluir
  3. Onde posso conseguir esse filme ?

    ResponderExcluir
  4. donde la puedo ver online o descargar?

    ResponderExcluir

 
Top