2


Vou resumir Piranha 3D em apenas duas palavras: diversão ultraviolenta. Pra quem gosta de filmes com muita gritaria, correria, sangue e mutilações explícitas, esse é um prato cheio. Por isso não aconselho a quem tem estômago mais fraco, já que as cenas das piranhas em ação são realmente muito pesadas. Na maioria dos países em que o remake em 3D do original de 1978 já estreou, a classificação foi para maiores de 18 anos. E não é à toa. 

Diferentemente do longa original, no qual as piranhas assassinas eram seres mutantes que seriam usados como arma de guerra, nesta nova versão um acidente geológico libera piranhas pré-históricas de uma caverna abaixo da superfície, que passam a ter em um lago repleto de turistas em férias de verão seu novo refeitório. Aliás, a explicação da forma como elas se mantiveram vivas todo esse tempo parece mais uma desculpa do que uma justificativa. 

A primeira cena é curiosa, já que Matt Boyd, o primeiro personagem a ter contato com os peixes carnívoros, é interpretado por Richard Dreyfuss, que atuou em Tubarão (1975). Além de sua participação, o elenco também conta com atores que andavam meio sumidos de grandes produções, como Ving Rhames - de Pulp Fiction (1994) -, Elisabeth Shue - de Despedida em Las Vegas (1995) -, e Christopher Lloyd, o Dr. Emmet Brown da Trilogia De Volta para o Futuro

Não fosse o excelente gancho para a continuação do filme, o final seria muito ruim mas, apesar do argumento raso, o roteiro carrega um forte clima de tensão. Seja pela presença de atores sumidos, pela homenagem em terceira dimensão a um clássico do cinema trash, ou pelo suspense entrecortado com inúmeras cenas de ação, vale a pena uma ida a um cinema, desde que com tecnologia 3D e que você não se importe com violência, sangue e vísceras expostas. Estreia: 22 de outubro.  

Piranha 3D (Piranha 3D) - 88 min
EUA - 2010
Direção: Alexandre Aja
Roteiro: Pete Goldfinger, Josh Stolberg
Com: Richard Dreyfuss, Ving Rhames, Elisabeth Shue, Christopher Lloyd, Eli Roth, Jerry O'Connell, Steven R. McQueen


Postar um comentário

  1. www.artesanatonatribodastias@blogspot.com23 de outubro de 2010 22:20

    Sou cinéfila!! Amo filmes do todo gênero,e esse vai ser mais um que vou curtir. Com certeza, os efeitos devem ser astronomicamente melhores do que os do filme Tubarão, então, não tem como não assistir.

    ResponderExcluir
  2. Vi esse filme há uns meses atrás e confesso que achei muito sangue pra pouca história.

    ResponderExcluir

 
Top