5


John e Savannah se conhecem nas férias, vivem duas intensas semanas juntos e se apaixonam, mas os anos que terão que passar separados irão ditar os rumos que o militar e a universitária darão às suas vidas. Confesso que vi o trailer e pensei: "Lá vem mais um daqueles romances sem sal, superficiais, chatos e repetitivos", ainda mais sendo um filme de Lasse Hallström, diretor que considero muito frio (eufemismo para um "pé no saco") - vide, pra citar apenas uma obra, Chegadas e Partidas (2001). Mas eu estava enganado. Discordo totalmente de quem diz que a primeira impressão é a que fica. Sem dúvida nenhuma, a última impressão é a que fica. 

A melhor maneira de provar esta teoria é dar o exemplo do que acontece no futebol. Os torcedores não querem saber se determinado jogador já fez dezenas de gols pelo seu time. Se ele passar um campeonato inteiro sem balançar as redes e jogando mal, não será poupado de vaias (e vice-versa). De todos os filmes de Lasse que havia visto, o único que gostei muito foi Regras da Vida (1999), com a musa Charlize Theron. Pois bem, agora, com Querido John, o diretor fez um belo gol. O romance dramático não cai no lugar comum em nenhum momento, apesar de cambalear um pouco no primeiro ato, e apresenta uma boa estruturação de roteiro. Parece que os pontos de virada dão origem a novas histórias, com diferentes conflitos, resoluções e algumas interessantes e incomuns surpresas (que, se você quiser saber, terá que ver no cinema). 

Além da relação de John e Savannah, é bonita a forma como Lasse dá relevância ao pai autista do militar, com sua coleção de moedas raras e sensibilidade à flor da pele. O atentado às Torres Gêmeas é mostrado de uma forma diferente (assim como em Lembranças) e, antes que algum teórico da conspiração fale que o longa pode ter alguma conotação de apoio à invasão estadunidense no Afeganistão e no Iraque, digo que acontece exatamente o contrário. Apesar do protagonista gostar da vida militar e ser vítima daquela velha cegueira ideológica de servir o país a qualquer custo, porque o Tio Sam precisa e seus compatriotas o apoiam, o filme deixa claro que o amor e a segurança são muito mais importantes do que se arriscar por algo que não tem valor algum (a não ser pro bolso dos senhores da guerra). Estreia: 07 de maio.

Querido John (Dear John) - 105 min
EUA - 2010
Direção: Lasse Hallström
Roteiro: Jamie Linden - Baseado no romance de Nicholas Sparks
Com: Channing Tatum, Amanda Seyfried, Richard Jenkins, Henry Thomas


Postar um comentário

  1. Parece lindo! Se você tá dizendo que é um bom filme-mulherzinha, vou ver! ;)

    ResponderExcluir
  2. Filme-mulherzinha se combate com doses cavalares de Iron Man 2. :p

    ResponderExcluir
  3. eu TENHO que ver esse filme! Ain parece que é perfeito! Com o Channing Tatum então...

    ResponderExcluir
  4. Cartas??? porque não por emails?

    ResponderExcluir
  5. leia o livro ou assista o filme qe vc vai entender pq cartas..

    ResponderExcluir

 
Top