7


O cinema nacional está me enchendo de orgulho neste ano. Não são poucos os excelentes filmes lançados em 2010: Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos, Sonhos Roubados, As Melhores Coisas do Mundo, Utopia e Barbárie, Quincas Berro D'água, e, agora, Olhos Azuis, novo longa de José Joffily (sem dúvida, o melhor de sua carreira). Sou capaz de apostar que o Brasil estará entre os indicados a Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2011. Não sei por qual, mas certamente estará. Curiosamente, além de ter dirigido Histórias de Amor..., o cineasta Paulo Halm está ligado aos roteiros de quase todos os destaques do ano. O cara tá botando a mão na massa mesmo. 

Olhos Azuis tem um tema bastante delicado. É uma crítica à xenofobia, mais evidente ainda, nos EUA, após o polêmico 11 de setembro (que fez o mundo se esquecer da morte de Salvador Allende). Marshall (David Rasche) é o chefe do Departamento de Imigração do Aeroporto JKF, em Nova York. Em outras palavras, ele é o buldogue que escolhe quem entra e quem não entra nos EUA, por aquelas portas. Em seu último dia de trabalho, antes da aposentadoria, ele começa a beber em serviço e perde totalmente o controle. Além de não querer deixar seu cargo (pelo poder da posição), um sério problema de saúde o aflige. Ele quer descontar suas raivas, frustrações e angústias em alguém.

Os latinos, que aguardam o carimbo em seus passaportes, são submetidos a situações humilhantes, mas o pior sobra para o brasileiro Nonato (Irandhir Santos). A tensão aumenta a cada intenso diálogo do duelo entre Marshall e ele, mesmo o roteiro deixando evidente que algo ruim acontecerá e quem levará o pior na história. A estrutura narrativa é brilhantemente dividida em três tempos, contados de forma não linear. A prisão, o conflito e a busca pela redenção, nas cidades de Pernambuco. O elenco de apoio é ótimo, com destaque para a prostituta Bia (Cristina Lago) e os atores principais têm performances geniais. Antagonista e protagonista duelam em palavras, gestos, expressões. E quem ganha é o público. Estreia: 28 de maio.

Olhos Azuis - 111 min
Brasil - 2010
Direção: José Joffily
Roteiro: Melanie Diamantas, Paulo Halm
Com: David Rasche, Frank Grillo, Erica Gimpel, Cristina Lago, Irandhir Santos



Por: Mattheus Rocha

Postar um comentário

  1. Nossa, esse trailer é bem melhor. Vi um outro dia que fez o filme parecer uma tosquice. Agora fiquei interessada!
    E, concordo contigo. O cinema nacional tá com a bola toda pra crescer muito!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Posto ainda essa semana a crítica lá no blog sobre "Olhos Azuis" e penso que todos os aspectos positivos q vc considerou são válidos e reais, contudo senti algumas arestas no roteiro...existem algumas questões relacionadas ao conflito do antagonistas que não ficam bem amarradas; percebi também uma certa lacuna na história de Marshall após o incidente no aeroporto.
    De forma geral o filme é muito bom. A direção de arte arrasa, a composição dos personagens principais está muito bem feita e a edição do filme tbm trabalhou brilhantemente.
    Assim q sair a crítica lá no blog aviso aqui...bjoo
    PS: Estou em SP!

    ResponderExcluir
  3. Tá sim, Mônica =D

    Beleza, Katia !! Não tive essa sua impressão. Achei o roteiro bem redondo. Quando estiver no RJ, me avisa.

    Beijos !!!

    ResponderExcluir
  4. Cara, realmente e´ um filme interessante. Ate hoje eu tive muita sorte em alfandegas. O mais proximo de uma experiencia dessas eu ia soltar a baiana quando o cara me deixou entrar (na Inglaterra). Mas nos EUA, tenho ate medo de ir por conta desse tipo de coisa. Para quem nao sabe, as agencias de viagem devolvem seu dinheiro se vc nao for aceito no pais, checa antes de ir.

    ResponderExcluir
  5. Os nossos agentes públicos são bem piores que estes e estamos exaustos de tanto aguentar a prepotência, os descalabros e a arrogância da raça que respira abuso de autoridade para viver!!! Estamos cansados de vivenciar isto! Este filme vai vai ser sepultado logo... Não precisamos gastar nossos reais e nem memso o nosso precioso tempo para ver tanta barbaridade!!! Ainda bem que ele passará brevissimo pelo circuito cinematografico.... apenas passará como um cometa indesejável e inútil.... eu passarinho...(parafraseando Mario Quintana! .... Pode ser que um dia os nossos cineastas caiam na realidade e resolvam virar o disco...

    ResponderExcluir
  6. Acabei de assistir o filme e fiquei absolutamente absorto do início ao fim. Creio que o diretor soube, com muita habilidade, criar um crescente de suspense e tensão (mesmo já se sabendo antecipadamente o tipo de desfecho trágico que se aguarda) auxiliado por bons atores (particularmente eu gostei muito do Irandir, o que faz o Nonato, ótimo!). O filme contado em tempos distintos e simultaneamente foi legal, se encaixaram bem as partes, os elos foram eficientes. Também gostei do tema, a xenofobia, e os constantes maus tratos que estrangeiros do 3o mundo sofrem nos aeroportos dos países ricos. Não sei exatamente o porquê, mas a única coisa que me incomodou foi o tão "óbvio demais" suicídio de arrependimento do protagonista no finalzinho do filme, foi punitivo e talvez para agradar o público(??)(final fácil demais ou lógico demais??).

    ResponderExcluir
  7. Acabei de assistir, muito bom. Excelentes atuações

    ResponderExcluir

 
Top