9


Uma Indicação ao Oscar: Ator Coadjuvante (Stanley Tucci)

Arrependimento. O que falta em George Harvey (Stanley Tucci), um pedófilo e serial killer, deve sobrar em Peter Jackson, que, depois da épica Trilogia O Senhor dos Anéis (2001-2003) e de King Kong (2005), lançou esta verdadeira bomba. A premissa do filme é parecida com a de Ghost - Do Outro Lado da Vida (1990). Começo da década de 70. Uma menina de 14 anos é assassinada  pelo tal do George e fica em uma espécie de purgatório, vendo tudo que se passa no mundo dos vivos. Sua irmã crescer e dar seu primeiro beijo, seu pai ficar obcecado, querendo a todo custo achar o culpado pela sua morte, sua mãe sair de casa e seu assassino continuar livre. 

O filme até começa bem, com cenas bonitas, ótimas jogadas de câmeras e uma reconstrução de época competente, mas, quando Susie Salmon (Saoirse Ronan), uma garota inteligente e madura, para sua idade, cai no papo furado do Sr. Harvey, a trama vai por água abaixo. Seria muito mais interessante se o longa procurasse descontruir os efeitos e consequências de um estupro na vida de uma adolescente, pois a tentativa de ser o Ghost de uma nova geração não deu certo. O péssimo roteiro não teve nem a cara de pau de deixar a Oda Mae Brown de lado, mas a personagem não tem um pingo do carisma de Whoopi Goldberg.  

Incríveis cem milhões de Dólares foram gastos em uma obra artificial, fraca e dispensável. Algumas cenas chegam a ser ridículas, como os diálogos entre Susie e uma menina que também foi assassinada por George e um redentor beijo pós morte. Quando sua irmã começa a desconfiar de seu vizinho, é criada uma subtrama que leva a um breve clímax, e a tensa situação até chega a empolgar, mas, no fim a pieguice fala mais alto. Peter Jackson já foi muito melhor. Bola fora. O Blogueiro não recomenda.  

Um Olhar do Paraíso (The Lovely Bones) - 135 min
EUA, Reino Unido, Nova Zelândia - 2009
Direção: Peter Jackson
Roteiro: Fran Walsh, Philippa Boyens, Peter Jackson - Baseado no livro de Alice Sebold
Com: Mark Wahlberg, Saoirse Ronan, Rachel Weisz, Stanley Tucci, Jake Abel, Susan Sarandon



Por: Mattheus Rocha

Postar um comentário

  1. Ok, não essas coca-cola toda, mas também não achei tão péssimo, tem coisas boas como a direção de arte que é fantástica e algumas cenas interessantes. Agora outras são absurdas como a sequencia de Susan Sarandon ou a que vc citou do beijo. Aliás, desde que a irmã dela foge da casa o filme fica absurdamente lamentável.

    ResponderExcluir
  2. Não estava animado pra ver este filme, menos ainda agora. Curioso é a decadência de Mark Wahlberg em seus últimos filmes. O cara não empolga mais - último bom filme que vi com ele foi Medo, que já deve ter uns 10 anos de lançamento, no mínimo. Ou seja, sempre que o vejo em algum elenco, já olho escrabreado. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Cara eu vou ver o filme,mas pelo menos já não vou com tanta esperança.
    E teu blog é muito maneiro então pode ir pegar um presente q te dou lá no meu blog

    ResponderExcluir
  4. Ah sempre tem premios q não entendemos o pq, mas acho que teve muita coisa legal na premiação.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. o filme eh bom sim
    mas depois do seu comentario "Peter Jackson já foi muito melhor" nao poderia ser "muitos mais melhor de bom" neh!

    ResponderExcluir
  6. eu assisti, e achei muito interessante o.õ

    ResponderExcluir
  7. Discordo em dizer que o filme é uma bomba; Talvez pq eu fale como pai de uma linda loirinha e não como um jovem solteiro. Gostei do filme, me emocionei com ele até...

    ResponderExcluir
  8. Achei graça. O filme é uma ADAPTAÇÃO de um livro. Você teria que ao menos ter lido o livro pra fazer a crítica. Sendo uma adaptação, não poderia ser desviado da trama original.

    ResponderExcluir
  9. Samanta, não li o livro e minha crítica é do filme. O cinema e a literatura são linguagens totalmente diferentes e o fato do filme não sair da trama do livro que o originou não o faz ser bom ou ruim, e sim sua realização.

    ResponderExcluir

 
Top