5


Duas Indicações ao Oscar: Ator (Morgan Freeman), Ator Coadjuvante (Matt Damon)

Mesmo com o fim do Apartheid, a África do Sul ainda vivia as sequelas do preconceito e do colonialismo. Após passar décadas preso, Nelson Mandela (Morgan Freeman) é eleito presidente e tem como principal missão unir um país separado. De um lado, os brancos; do outro, os negros. Mandela vê na proximidade da Copa do Mundo de Rúgbi (um esporte parecido com futebol americano, mas ainda mais chato) uma ótima oportunidade para unir a nação. A seleção sul africana é um retrato do país. Desacreditada, derrotada e com apenas um negro no time. Seus ideais de igualdade não são bem vistos, tanto pelos negros, que têm sede de vingança, quanto pelos brancos, que se consideram superiores. Para ajudá-lo, Mandela motiva o capitão da equipe, Francois Pienaar (Matt Damon), com lições de liderança e coragem. Ganhar a Copa do Mundo será um estímulo para o renascimento da África do Sul

Clint Eastwood errou a mão em Invictus. De tão burocrática e previsível, a trama não passa emoção. É apenas interessante, em alguns poucos momentos. O filme (quase) engrena apenas em duas cenas, nas quais o presidente Mandela (quase) corre perigo. De forma implícita, Distrito 9 tem muito mais força na crítica ao Apartheid. Mas Invictus tem seu valor ao mostrar como nações pouco esclarecidas se unem por coisas que, comparadas a outras, no fundo, pouco importam. O esporte uniu o país. Não que isso seja ruim, pelo contrário, mas podemos fazer uma analogia com o Brasil. Futilidades, como BBB, carnaval etc. geram comoção nacional, enquanto corruptos travestidos de políticos roubam dinheiro público na nossa cara e (quase) ninguém faz nada. Agora, quando é pra falar de quem deve ser votado no paredão, o Twitter, por exemplo, bomba. Não se fala em outra coisa. Os Arrudas e Sarneys da vida devem adorar isso.

É claro que as pessoas devem ter seu momento de lazer. Eu mesmo, adoro futebol. Mas nossa cidadania deve ser prioridade, não, embora necessário de vez em quando, o escapismo anencéfalo. 

Invictus (Invictus) - 133 min
EUA - 2009
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Anthony Peckham - Baseado no livro de John Carlin
Com: Morgan Freeman, Matt Damon, Tony Kgoroge, Patrick Mofokeng, Matt Stern, Julian Lewis Jones



Por: Mattheus Rocha

Postar um comentário

  1. Carissimo, Mattheus
    Eu admiro muito a direção sempre cuidadosa de Eastwood, mas não conferi ainda este.

    Apesar de saber que será, ao meu ver, inferior aos últimos três filmes dele - Sobre meninos e lobos, Gran Torino e A Troca. Conhece esses? são fantásticos!

    Apareça! Abração!

    ResponderExcluir
  2. Então, o que acontece é que eu não gosto de filmes de esporte. A maioria tem a mesmo história.

    ResponderExcluir
  3. e aí, Mattheus. Tás vendo filme pra cacete, hein? hehehe

    sou fã do morgan freeman, esse filme deve ser fantástico.

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Realmente, parace que Distrito 9 tem uma crítca mais forte que essa produção, mesmo que essa, no caso esteja baseada em fatos.

    Mandela é um gênio por ter unido e levantado um país dividido que não tinha o menor senso de nação.

    Concordo com toda a parte que fala sobre futilidades e entretenimento, só discordo de uma coisa! Que futebol americano é chato, é muito bom Po! Você só precisa entender todas as regras senhor Mattheus u.u

    ResponderExcluir
  5. Falar que rugby é um esporte chato só demonstra o seu completo desconhecimento sobre o esporte. Onde o espírito de equipe, lealdade, respeito aos adversários e principalmente ao juízes deveriam ser bons exemplos a serem seguidos no futebol. Esporte onde vemos um jogador da seleção em plena copa do mundo levar uma bolada na canela e se atirar ao chão cobrindo o rosto.Vergonhoso.

    ResponderExcluir

 
Top