3


Para quem não conhece, a Maratona Odeon é um dos eventos cinéfilos mais prestigiados do Rio de Janeiro. Toda primeira sexta feira do mês, a partir das 23 horas, são exibidos três filmes (geralmente pré-estreias), com DJ nos intervalos e, no final, café da manhã com bolo, lá pelas 6 da manhã. Estes foram os longas exibidos na Maratona de fevereiro:

A Fita Branca (Das Weisse Band) - 144 min
Áustria, Alemanha, França, Itália - 2009
Direção: Michael Haneke
Roteiro: Michael Haneke
Com: Christian Friedel, Ernst Jacobi (narração), Leonie Benesch, Ulrich Tukur, Ursina Lardi

Duas Indicações ao Oscar: Filme Estrangeiro, Fotografia

O cineasta Michael Haneke não faz filmes, apenas. Faz tratados filosóficos sobre a natureza humana, em forma de filmes. A Fita Branca é mais uma de suas obras densas e viscerais, como A Professora de Piano (2001) e Caché (2005), mas com uma forte mudança de estilo. O longa se passa em um pequeno vilarejo na Alemanha, em 1913, pouco antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial. O lugar é dominado por um vigoroso sistema patriarcal, com hierarquia bem definida. Os personagens principais são chamados por suas funções no vilarejo e, em nenhum momento, têm seus nomes revelados: o professor, o barão e a baronesa, o pastor, o administrador, o médico e a parteira. A fotografia em preto e branco realça o forte clima de tensão gerado por misteriosos incidentes que afligem os habitantes da vila. Graves acidentes, espancamentos, incêndios, sumiços... qualquer um pode ser o culpado. Haneke oferece um estudo sobre a educação rígida, a punição e suas consequências. Alguns diálogos são geniais, como quando o filho do médico pede que sua irmã mais velha lhe explique o que é a morte. Após ver este filme, não lamentei tanto pela ausência de um longa brasileiro entre os indicados ao Oscar de Filme EstrangeiroSalve Geral não teria a menor chance contra A Fita Branca.




O Mensageiro (The Messenger) - 112 min
EUA - 2009
Direção: Oren Moverman
Roteiro: Alessandro Carmon, Oren Moverman
Com: Ben Foster, Woody Harrelson, Samantha Morton, Steve Buscemi, Jena Malone, Eamonn Walker

Duas Indicações ao Oscar: Ator Coadjuvante (Woody Harrelson), Roteiro Original

O sargento Will Montgomery (Ben Foster) voltou do Iraque com sequelas físicas e emocionais (como quase todas pessoas que vão à guerra). Terminou seu noivado e passa dias e noites em claro sem sair de casa, ouvindo música pesada nas alturas. Sua vida perde completamente o rumo, até ganhar motivação em sua nova função no exército: informar às famílias sobre seus parentes mortos em combate. Cria laços de amizade com seu superior, o solitário e carente capitão Tony Stone (Woody Harrelson) e, mesmo contrariando um dos princípios éticos dos mensageiros, se envolve com a viúva de um militar. Um longa lento e previsível, mas denso e competente. A cena final do filme é fantástica. Poesia pura.




Entre Irmãos (Brothers) - 104 min
EUA - 2009
Direção: Jim Sheridan
Roteiro: Susanne Bier, Ander Thomas Jensen
Com: Jake Gylenhall, Natalie Portman, Tobey Maguire, Sam Shepard, Clifton Collins Jr. 

Mais um filme com a temática guerra. O capitão Sam Cahill (Tobey Maguire) é dado como morto no Afeganistão. O filme não conta com supresas, nem reviravoltas (o que não tira a qualidade da obra). Em todo momento, sabemos o que está acontecendo. Na verdade, Sam foi capturado por tropas inimigas. Enquanto é torturado, física e psicologicamente, seu irmão se aproxima, cada vez mais intensamente, de sua mulher. Um beijo se torna inevitável, mas Grace (Natalie Portman) resiste e não deixa a relação ir além disso, mantendo apenas uma forte amizade com Tommy (Jake Gylenhall). Após alguns meses, Sam é resgatado e, assim como o sargento Will, de O Mensageiro, volta com sequelas físicas e emocionais. Passa a desconfiar de que seu irmão e sua mulher estão tendo um caso, o que o leva a atitudes extremamente violentas e perigosas. Destaque para as crianças do elenco. Jim Sheridan sabe como as dirigir, contribuindo para atuações tão boas quanto à dos atores veteranos. Além do excelente Entre Irmãos, o sublime Terra dos Sonhos (2002) é um ótimo exemplo disso.



Por: Mattheus Rocha

Postar um comentário

  1. Gostei do seu Blog, muito cultural!.... Valeu!

    ResponderExcluir
  2. Primeiro curti muito o blog, hehe to precisando assitir ums filmes bons hoje assisti um do cuba godding"mãos talentosas" vale a pena historia real muito bem atuado sem muitas enroações filmão.


    vou vir aqui mais vezes sem duvida

    Bom vou te esperar no meu blog no dia 21 de fevereiro de 2010 estreía o novo layout casa nova,entrevistas pra la de especias e surpresas surreais

    http://contemporaneoeindiscreto.blogspot.com/

    Passa la pra conhecer ta?

    ResponderExcluir
  3. quero muito ver a fita branca. mas acho que vou ter que esperar sair o dvd :/

    ResponderExcluir

 
Top